Scroll Top

High Tech

RIC – Registro de Identidade Civil. A tecnologia do Futuro no Brasil.

Curso de Manutenção de Celulares

A partir de dezembro de 2010 nosso país dará um passo à frente com uma nova tecnologia. Este novo projeto será implementado de início somente em alguns estados e será o mais novo documento de pessoa física.  O projeto denomina-se como RIC (Registro de Identidade Civil).

Após alguns anos de estudo, este projeto primariamente teve o nome de C.U., uma abreviação de "Cadastro Único". O nome por si, foi alterado de forma a acabar com alguns termos negativamente pejorativos (que só o Brasileiro entende). O projeto prevê que os primeiros cartões do RIC serão expedidos pela Casa da Moeda e sua implantação durará aproximadamente até 2019.

O seu método será similar como em cartões de bancos, pois além da praticidade eles também conferem mais segurança às transações. E essa praticidade dos chips foi implementada ao projeto RIC.

No início o RIC valerá somente como identidade e conterá algumas informações do cidadão como altura e impressão digital.

Mas no futuro, com ele você será cadastrado em uma central nacional de informações, com todas as suas informações, como a de impressões digitais, fotografia 3×4, números de documentos (RG, CPF, título de eleitor, PIS/PASEP, Título de eleitor, passaporte, Carteira de trabalho e Carteira nacional de habilitação (CNH) e também dados como altura e cor dos olhos.

Por decreto, este documento foi instituído pela Lei 9.454 de 7 de abril de 1997, visando facilitar a vida do cidadão brasileiro. Isso significa que não será mais preciso carregar uma série de documentos para lá e para cá, mas sim apenas um deles: o RIC.

Três estados e quatro cidades foram escolhidos para testar o projeto piloto. Sessenta mil cartões serão distribuídos no Rio de Janeiro, Distrito Federal e Bahia, e quarenta mil nas cidades de Hidrolândia (GO), Ilha de Itamaracá (PE), Nizia Floresta (RN) e Rio Sono (TO).

Essa comissão responsável pela escolha destes locais é composta por tecnólogos do Ministério da Justiça, do Instituto Nacional de Identificação da Polícia Federal, do Instituto de Tecnologia da Informação da Casa Civil da Presidência da República, do Tribunal Superior Eleitoral, do Serviço Federal de Processamento de Dados – Serpro, e de institutos de identificação de estados brasileiros.

E a segurança?

A segurança também é ponto-chave deste novo projeto. Ficará ainda mais difícil falsificar documentos, pois um chip presente no cartão garantirá a autenticidade das informações ali prestadas. Além da segurança fortemente presente neste dispositivo, o documento será confeccionado sob as medidas de segurança mais avançadas, contendo um cartão de seis camadas, com impressão com tintas especiais sobre fundos complexos, além de o próprio cartão contar com marcas d’água, o que tornaria a falsificação algo extremamente difícil, praticamente impossível.

Alguns benefícios do RIC

  • Melhor e maior facilidade de identificação dos cidadãos.
  • Maior praticidade na confecção de novos documentos (2ª Via).
  • Informações referentes a todos os seus documentos são acessados mais rapidamente.
  • No chip do cartão constará os números de todos os documentos que você possui.
  • Maior segurança contra falsificações.
  • Impressão a laser em um cartão de policarbonato preparado especialmente para evitar que o cartão se desgaste ou quebre com facilidade.
  • Ao invés de informar seu número de CPF, RG e tantos outros documentos, apenas uma única sequência numérica dará conta de tudo o que é preciso saber acerca de sua identidade civil.
  • Maior facilidade de transporte,você terá apenas um único cartão ao invés de transportar vários documentos.

Abaixo um vídeo melhor especificando o assunto.


Uma coisa que por opinião PRÓPRIA e precisa ser repensada, s
ão os antigos documentos de papel ou plástico que ainda continuarão a valer normalmente, mesmo após a retirada do RIC. Pois a retirada do novo documento é facultativa, segundo a Polícia Federal.  O custo da nova tecnologia, é de aproximadamente 800 milhões de dólares (+/- R$ 1,4 bilhão) para instalação do projeto.  Ou seja, o novo cadastramento será realizado com todos os brasileiros, MAS o documento só aqueles que o desejarem o terão. Estranho né? 😕

Comente via:

  • Facebook
  • WordPress
  • Google Plus

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.