Curiosidades High Tech Internet Segurança da Informação

Você sabe quem tem acesso ao seu Gmail, Twitter e Facebook ?

Curso de Manutenção de Celulares

Atualmente a sociedade está fortemente influenciada pelos serviços concentrados na web. Através de poucos anos, a internet tomou conta de uma boa parte da nossa atenção e "ofereceu" diversas ferramentas para utilizarmos diariamente em nossas atividades. Um caso de sucesso recente foram as redes sociais, onde fazemos amigos simplesmente "sem sair do sofá".

O webmail foi o pioneiro neste grande trunfo para nos fixarmos à web e atrás dele veio muitos outros. Alguns serviços são importantes ao ponto de termos dados pessoais valiosos ali inseridos e nem se quer lembramo-nos disso.

Como a web é dinâmica, apareceram aplicações que se conectam a serviços web que se tornarão mais  importantes para a nossa vida e as pessoas darão acesso ao seu perfil com toda a facilidade sem se preocupar com o quesito segurança.


Mas isso seria uma possível ameaça?

Hoje em dia a maior ameaça em potencial não são mais os vírus… até arrisco dizer que quase ninguém “pega vírus”. (ainda existem vírus que apagam arquivos do nosso Windows?)

O problema da grande ameaça, é o “tipo C da engenharia social”. O malware criado hoje, tem como método capturar a confiança do usuário, passando a mensagem sendo como verdadeira e fazendo com que acreditamos em sua benevolência aliada a nossa distração.

Nós somos “escravos” de ferramentas que têm um habitat próprio! São Ferramentas que nos convidam a participar de alguma coisa, que nos oferecem espaço para armazenarmos alguma coisa online sem pagarmos nada e parece que há vida autônoma entre estes serviços.

O Facebook convida o Twitter para cruzar informação, é o TwitPic que oferece ao Twitter espaço de armazenamento de fotos, é o Farmville que oferece ao Facebook a área de cultivo de sua fazendinha, tudo isto através do nosso próprio consentimento.

Eu mesmo fiquei impressionado com a quantidade de serviços que continham em minhas configurações do Google. Havia serviços de 2008 que eu não utilizava e nem lembrava que existiam.

Para retirar estes serviços, acesse o Google Contas, e dentro você poderá ter, entre outra informação, os serviços que estão autorizados e que interagem com a sua conta do Gmail. Se você não utiliza, então você não sabe para que servem… vá pelo seguro e revogue estes acessos ao seu Gmail.

No Facebook já existem serviços que “vivem” à custa da existência e da massificação do Facebook.

Todo o processo é criado para tentar recolher dados que sejam úteis a estatísticas, à criação de serviços que simplifiquem as necessidades que apareceram com esta rede social. Depois existem as aplicações úteis que são criadas para aumentar a utilidade do Facebook, onde você instalar para experimentar, mas agora estão completamente esquecidas. Então vá em frente e revogue a autorização.

Para isso vá ao canto superior direito, menu conta, Definições de Privacidade e verá ao fundo da página do lado esquerdo um menu dizendo "Aplicações e sites". Dentro terá os serviços, aplicações e sites pendentes na sua conta do Facebook.

O Twitter já conta com milhares de aplicações e serviços capazes de se ligarem à sua conta e a partir daí recolherem informações sobre o seu perfil de usuário. Por padrão a função é atribuir alguma função, mais não seja ligar um serviço de alojamento de fotografias e vídeos à sua conta do Twitter, por exemplo. Mas há milhares de outros serviços que giram em torno do Twitter. Para saber quem está em modo "Parasita" do seu Twitter vá em Setting e depois no menu Connections.

O que você não usar ou  não conhecer… não facilite. Remova da sua conta sem dó.

 

Resumindo…

A segurança atualmente… e cada vez mais, passa por um comportamento pró-ativo e menos reativo. O que está em causa cada vez mais são os dados pessoais e a forma como cada um de nós se comporta perante a sociedade digital, visando desenvolver uma engenharia social que nos cerque de serviços pagos ou serviços gratuitos que vivem da publicidade que nos servem.

No meio desses agentes prospectores existem os “criminosos”. Serviços que aparentemente são inofensivos, que de alguma forma passam por “silenciosos” e servem propósitos aos quais não demos autorização e nem fomos conhecedores da sua aproximação ao nosso modo de vida. Esse é o malware da atualidade. Então proteja-se!

E o que é o "tipo C da engenharia social? "

Se pensarem bem, verão que por trás do malware atual, está a credibilidade, a crença, a curiosidade e covardia.

Comente via:

  • Facebook
  • WordPress
  • Google Plus

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

1 Comentário

  1. Rodrigo R disse:

    Muito bom seu post, e bem maneiro seu blog.. flw

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.