Curiosidades High Tech Linux OpenSource Segurança da Informação

10 Distribuições Linux, uma para cada tipo de usuário

Curso de Manutenção de Celulares

Você sabe de onde vem o poder do Linux ?
O sistema do Pinguim fica mais forte a cada dia com a presença de tantas distribuições diferentes espalhadas pelo mundo. Cada uma destas distros possuem um grande grupo de usuários, colaboradores e desenvolvedores que trabalham de modo voluntário e específico em suas distribuições favoritas. Distribuições Linux existem aos montes em diversos tipos, tamanhos e formas. Por serem diferentes umas das outras, elas que suprem todas as necessidades para cada tipo de usuário Linux e seu nicho de atuação. Vamos mostrar qual é o tipo de usuário específico para algumas das 10 distribuições Linux mais conhecidas.

LINUX-10
Debian

O Debian além de legal é um sistema extremamente estável, tornando-se ideal para servidores. Seu público-alvo não são os usuários novatos, mas sim os usuários mais avançados e administradores de sistemas. Por ser um S.O extremamente estável e confiável foi o inspirador para o desenvolvimento de várias outras distribuições (por exemplo, Ubuntu, Kali, etc). O Debian é a mãe de uma série de distribuições Linux e possuindo mais de 37.500 pacotes. Seu diferencial foi ser o pioneiro na utilização dos maravilhoso apt/aptitude para instalar e atualizar softwares e aplicações com facilidade. Por ser um sistema totalmente livre o Debian conta com alguns métodos diferenciados de outras distros, por exemplo o Iceweasel que é um browser para a Internet de código aberto. O Iceweasel é idêntico ao Mozilla Firefox e para seguir a ideologia do projeto Debian, o navegador Mozilla Firefox não pode ser distribuído juntamente com a distro Debian. O motivo é que o navegador Mozilla Firefox e seu ícone da raposa são marcas registradas e  patenteadas pela Fundação Mozilla, uma vez que todo o conteúdo distribuído juntamente com o Debian deve ser totalmente livre, por isso existe o Iceweasel que na verdade é o próprio Firefox mas com outro nome e logomarca.

Debian10

[button color="#" background="#FF4D54" size="small" target="_blank" src="http://www.debian.org/"] Site: Debian Linux[/button]

Gentoo

O Gentoo não é somente uma distribuição Linux e sim uma "metadistribuição" devido a sua flexibilidade de adaptação. O Gentoo Linux pode ser utilizado como servidor, como estação de trabalho, um sistema desktop, um sistema de jogos, um sistema embarcado ou qualquer outra utilização que o usuário necessite. Seu maior diferencial são seus pacotes que não são pré-compilados, ou seja, todo e qualquer programa precisa ser compilado no sistema.
Até mesmo os usuários avançados da comunidade do Gentoo expressam as vezes os seus raros momentos de apuros para instalá-lo ou configurá-lo, no entanto o Gentoo Linux é considerado o sistema perfeito para quem deseja conhecer e aprender a fundo o funcionamento interno de um sistema operacional Linux. O Público alvo do  Gentoo são os usuários avançados que já sabem qual caminho seguir no mundo Linux.

Gentoo

[button color="#333333" background="#B6B9DF" size="small" target="_blank" src="http://www.gentoo.org/"] Site: Gentoo Linux[/button]

Ubuntu

Ubuntu tornou-se a distro Linux mais conhecida nos últimos anos. Derivado do Debian este é o sistema operacional livre mais popular e um dos mais indicados para os iniciantes. Com sua popularidade e aceitação o Ubuntu Linux agregou novas tecnologias com o tempo, por exemplo a computação em nuvem e a possibilidade de ser utilizado em dispositivos móveis. Sendo um derivado do Debian GNU/Linux a maioria de seus processos e aparência permanecem fiéis ao Debian, assim como o gerenciamento de pacotes apt/aptitude. O Ubunto é altamente recomendado para aqueles que na vida nunca utilizaram um sistema Linux.

Ubuntu

[button color="#333333" background="#FEBD4B" size="small" target="_blank" src="http://www.ubuntu-br.org/"] Site: Ubuntu Linux[/button]

Damn Vulnerable Linux (DVL)

Talvez você nunca tenha ouvido falar da distribuição Damn Vulnerable Linux – traduzindo ao pé da letra seu nome significa mais ou menos algo como "Maldito Linux Vulnerável".
Claro que a maioria de vocês nunca ouviram falar de uma distro com este nome, e ainda perguntam o que ela está fazendo neste artigo? O que há de tão importante nela que denigre a imagem do Linux?

O Damn Vulnerable Linux ou Maldito Linux Vulnerável realmente faz jus ao nome que leva.
Sim! O Vulnerable Linux (DVL) é uma bosta é tudo o que uma boa distribuição Linux não é. Ele vem empacotado intencionalmente com softwares quebrados, mal-configurados, desatualizados e com diversas falhas exploráveis ​​que o torna um sistema Linux vulnerável a ataques de todos os lados.

Damn-Vulnerable-Linux

Pode parecer irônico, mas seu objetivo é formar ótimos Administradores Linux. Qual é o melhor método para resolver problemas com pacotes desatualizados, problemas com Apache, MySQL corrompido, links PHP quebrados, FTP e SSH liberados p/ root, drivers problemáticos e tudo aquilo que fode de ruim que pode acontecer na vida de um administrador Linux?

Seu público alvo são os administradores Linux em formação, pois utilizando o Damn Vulnerable Linux (DVL) como um laboratório de treinamento, ele torna-se a distribuição Linux perfeita para quem deseja torna-se um ótimo profissional.

A idéia é pegar uma distro fudida extremamente instável e tentar consertá-la, transformando em uma distro Linux segura, estável e livre de erros. – ou será que você pretende aprender a resolver um novo problema somente quando o seu servidor em produção parar?

Caso necessite de suporte para o DVL acesse o site do projeto. 😛

[button color="#333333" background="#FF0000" size="small" target="_blank" src="http://www.damnvulnerablelinux.org/"] Site: Damn Vulnerable Linux[/button] [button color="#333333" background=#FF5B5B" size="small" target="_blank" src="http://tenet.dl.sourceforge.net/project/virtualhacking/os/dvl/DVL_1.5_Infectious_Disease.iso"] Download DVL [1.7GB] [/button]

Red Hat Enterprise Linux

O RHEL foi a primeira distro Linux direcionada somente ao mercado comercial. Foi lançada em várias versões para uma série de arquiteturas de processadores. A Red Hat abre possibilidades para ps administradores Linux de sua distro comercial, tirarem certificação por meio de cursos como o RHCSA/RHCE. A distro Red Hat fornece aplicações muito, muito estáveis e atualizadas para aqueles que adquirem um dos diversos planos de suporte da empresa. Utiliza o YUM para gerenciamento de pacotes.

RedHat-Enterprise-Linux

Acredita-se que o nome Red Hat foi escolhido por seu criador Marc Ewin, que na época havia perdido um lindo chapéu vermelho, presente de aniversário dado por seu avô.

[button color="#FFFFFF" background="#3E5891" size="small" target="_blank" src="http://br.redhat.com/"] Site: RHEL[/button]

CentOS

CentOS também é uma distro "Enterprise Linux" ou seja, seu foco também são as empresas só que direcionado à comunidade livre. Seu diferencial é que a mesma foi reconstruida utilizando blocos de códigos livres vindos do Red Hat Enterprise Linux. A diferença entre o CentOS e RHEL é a remoção do logotipo da empresa Red Hat e uma ligeira mudança em pacotes binários. Aqueles que querem um gostinho do Red Hat Enterprise Linux sem pagar uma quantia considerável de dinheiro, devem dar uma oportunidade ao CentOS. Além disso o CentOS parece idêntico ao próprio RHEL e também utiliza o YUM para gerenciamento de pacotes.

CentOS
[button color="#FFFFFF" background="#6F6F6F" size="small" target="_blank" src="https://www.centos.org/"] Site: CentOS[/button]

Fedora

O pequeno Fedora é a distro Linux para aqueles que querem provar as novidades da tecnologia de ponta antes de todos. Na verdade o Fedora é quase uma plataforma de testes da Red Hat e tem uma forte contribuição da comunidade. Novidades, avanços e atualizações primeiramente são disponibilizadas através do Fedora até que se tornem estáveis, para posteriormente seguir para o RHEL e CentOS.
O Fedora é uma distro Linux muito boa, possui grandes usuários no mundo todo e uma gama enorme de pacotes em seus repositórios. O Fedora também utiliza YUM para gerenciamento de pacotes.

fedora19_vbox_netinst_06

[button color="#ffffff" background="#498AF4" size="small" target="_blank" src="http://www.projetofedora.org/"] Site: Fedora[/button]

Kali Linux

Kali Linux é uma outra distro derivada do Debian. O Kali é destinado para testes de penetração em avaliar a segurança de um sistema de computador ou de uma rede, simulando assim um ataque de uma fonte maliciosa. É uma distribuição Linux extremamente nova, não possui nem 2 meses desde sua data de lançamento. É o sucessor do finado Backtrack. Todos os pacotes binários destinados ao Debian podem ser instalados no Kali Linux sem problema algum. Além disso, os usuários do Debian recomendam fortemente a utilização do Kali Linux, pois junto com esta nova distro vem uma série de ferramentas para testes de penetração  (Wifi, banco de dados etc.) e muitos outros recursos exclusivos para a segurança da informação. Utiliza o apt/aptitude para gerenciamento de pacotes sendo o  sistema ideal para testar toda e qualquer segurança dentro ou fora de uma rede.

kali
[button color="#ffffff" background="#EF7847" size="small" target="_blank" src="http://www.kali.org/"] Site: Kali Linux[/button]

Arch Linux

Arch Linux é uma distribuição Linux independente, minimalista, versátil e otimizada para processadores i686 Pentium Pro, II, etc. e alguns AMD compatíveis. Um de seus diferenciais é ser um Linux do tipo rolling release, ou seja, todo o sistema é atualizado continuamente, o que significa que você terá acesso às novas versões da distro simplesmente mantendo o sistema atualizado através do Pacman, o seu gerenciador de pacotes. O Arch Linux é super configurável e instalável a partir de um CD ou USB. – com ela os usuários  podem criar facilmente seus próprios pacotes compatíveis com o Package manager ou Pacman que usufrui de ferramentas como o "Arch Build System", sistema que faz dela a distribuição Linux preferidas dos geeks e curiosos.

screenshot3f
[button color="#ffffff" background="#122472" size="small" target="_blank" src="https://www.archlinux.org/"] Site: Arch Linux[/button]

OpenSuse

OpenSuse é uma ótima distro Linux nascida na Alemanha, mas por diversos motivos de um mundo capitalista tornou-se Americana.

O OpenSuse é uma distro Linux totalmente livre. Caso você queira utilizá-la em ambientes corporativos ou comerciais existem também as suas distribuições variantes para este nicho, como o SLES (Suse Linux Entreprise Server) e SLED (Suse Linux Entreprise Desktop).

Assim como o RedHat  possui suas distribuições com foco para empresas e a comunidade, o SuSE Linux é tratato de forma semelhante pela… (ainda Novell?). Na teoria o verdadeiro concorrente amigável do OpenSUSE é o Fedora+CentOS, da versão SLES é o RHEL. Infelizmente não há uma distro SuSE específica para servidores apoiada pela comunidade como no caso do CentOS.

opensuse123-opensusethemedoffice
Voltando a falar do OpenSuse, ele utiliza o fenomenal gerenciador de pacotes Yast, que torna fácil gerenciar os aplicativos no sistema. Além disso caso você queira utilizar o OpenSuSe como servidor o Yast irá ajudá-lo de uma forma que você não irá acreditar. – podemos configurar um servidor de correios, LDAP, servidor de arquivos com samba, servidor Web e muito mais sem qualquer problema indevido ou confusão. Ele vem com um sistema snapper o que torna possível realizar um roll-back ou usar a versão mais antiga de algum arquivo, atualização ou configuração. Além do Yast o OpenSuse também utiliza um outro gerenciador de pacotes muito bom para quem adora utilizar o terminal, o zypper. – muito semelhante ao apt-get /aptitude das distros "debianas".

O OpenSUSE Linux está cada vez mais famoso entre os admins por causa da disponibilidade do Yast e qualquer outra aplicação que automatiza a tarefa dos administradores de sistema. – este é o recurso que te deixa preguiçoso que facilita o gerenciamento rápido de tarefas simples que algumas distros ainda não possuem.

[button color="#ffffff" background="#B1D069" size="small" target="_blank" src="http://www.opensuse.org/pt-br/"] Site: OpenSuse[/button]

Resumindo…

Das diversidades de distribuições disponibilizadas pelo mundo, apresentamos aqui 10 distros Linux destinadas ao seu tipo de público alvo. Como vimos, existem distribuições sérias, difíceis, fáceis e divertidas. -claro que nada impede você de utilizar qualquer distribuição Linux para qualquer fim, o Linux é Livre!
E para terminar, relembro de um professor que no passado me disse a seguinte frase:

Aprenda tudo sobre as distribuições Linux mais diferentes entre si e jamais fique preso somente a uma determinada distribuição. Se ficar, você estará aprendendo a utilizar a distribuição e não o Linux!

[message_box title="Uma pequena observação:" color="blue"]O Site de suporte do Damn Vulnerable Linux (DVL) foi algo extremamente engraçado! -ou será que você não entendeu a piadinha irônica? ;)[/message_box]

Comente via:

  • Facebook
  • WordPress
  • Google Plus

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

2 Comentários

  1. Pandi disse:

    muito bom… ; )

  2. BrunoCoquinho disse:

    Certeza que eu tive que ler esse post haha
    Muito bom! Bem explicativo, tinha algumas que não conhecia.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.